Hospital da Bahia agiliza o diagnóstico e tratamento das Doenças Vasculares

O Serviço de Cirurgia Vascular do Hospital da Bahia (HBA), disponibiliza tecnologia de ponta para o diagnóstico e tratamento das doenças vasculares perifericas.

O especialista e cirurgião vascular Ricardo Ferraz fala sobre os diferenciais do serviço na entrevista a seguir.
 
Como está estruturado o Serviço de Cirurgia Vascular do HBA?
Contamos com uma equipe de cirurgiões vasculares de sobreaviso, 24 horas por dia, tanto para as demandas dos pacientes que são atendidos na emergência do hospital quanto para as interconsultas e procedimentos especializados dos pacientes já internados.
 
Quais são os casos que têm maior incidência de atendimento?
Por se tratar de um hospital geral de grande porte, no HBA nos deparamos com todos os tipos de patologias vasculares. Atendemos patologias arteriais, como aneurismas e doença arterial oclusiva periférica; patologias venosas, como varizes, trombose venosa profunda e úlceras, e atendemos lesões vasculares decorrentes de traumas. Particularmente, por contarmos com um serviço de excelência em Neurologia, que tem como objetivo principal, a prevenção e o tratamento dos AVC’s (Acidente Vascular Cerebral). Realizamos de forma cada vez mais crescente a cirurgia de endarterectomia das artérias carótidas, que visa a desobstrução dessas artérias e por consequência, a prevenção dos AVC’s.

O que são os aneurismas?
Aneurismas são dilatações dos vasos sanguíneos que podem ocorrer nas mais diversas partes do nosso corpo. Os aneurismas cerebrais são tratados pelas equipes de neurocirurgia e neuroradiologia, os aneurismas da aorta na sua porção ascendente são tratados pela equipe de cirurgia cardíaca, e todos os outros aneurismas (aorta, de artérias viscerais e os periféricos) são tratados pela equipe de Cirurgia Vascular. Todas estas equipes especializadas estão disponibilizdas no HBA aos seus pacientes.
 
Quais são os equipamentos e técnicas usados no HBA para diagnóstico e tratamento dos aneurismas?
Os aneurismas podem, dependendo de cada caso, ser tratados de forma clínica ou cirúrgica. Para o diagnóstico dos aneurismas utilizamos os exames de tomografia computadorizada, ressonância magnética e ultrassonografia. Se o aneurisma tiver indicação de tratamento clínico, acompanhamos o paciente periodicamente no consultório. Se tiver indicação de tratamento cirúrgico, poderemos optar por dois tipos de tratamento: a cirurgia aberta (convencional) realizada no centro cirúrgico ou a cirurgia endovascular, que é realizada na sala de hemodinâmica.

Em casos de pacientes com doença aterosclerótica, que procedimentos são adotados?
Os pacientes com doença aterosclerótica, ou seja, que apresentam obstrução dos vasos arteriais, também podem ser tratados de forma clínica ou cirúrgica, a depender do caso. Os pacientes assintomáticos ou aqueles com doença em estágios iniciais, na grande maioria, são tratados clinicamente. Nestes casos, buscamos controlar os fatores de risco lançando mão de medicações e da implementação de mudanças dos hábitos de vida, como controle do colesterol, realização de atividade física, abstenção do tabagismo, dentre outros. Nos pacientes em estágios mais avançados e naqueles em que o tratamento clínico otimizado não obteve os resultados esperados, podemos realizar o tratamento cirúrgico. Também neste caso temos duas opções de tratamento: o cirúrgico convencional (revascularizações) ou o endovascular (angioplastias).
 
Em que consiste a técnica da Angioplastia com Stent e quais as indicações?
A técnica de angioplastia com Stent consiste na dilatação do vaso obstruído através do uso de um balão, seguida da colocação de uma espécie de “mola”, que é o Stent, com o intuito de manter aberto o vaso que foi tratado. Vale ressaltar que os Stents têm características diferentes para cada região a ser tratada e que a sua indicação também vai estar atrelada à patologia e ao segmento do corpo que está sendo tratado.

Várias doenças podem ser tratadas pela embolização. Em que consiste essa técnica?
A embolização é um procedimento minimamente invasivo, sem cicatrizes ou cortes, pelo qual o médico intervencionista é capaz de tratar as mais diversas patologias através de monitores e equipamentos de alta tecnologia. Dentre elas destacamos os miomas uterinos e os tumores hepáticos. Utilizando fios e cateteres de tamanhos milimétricos, é possível realizar o fechamento do fluxo sanguíneo para determinada região, e consequentemente o sucesso terapêutico é alcançado. 
 
Quais são as doenças vasculares que têm indicação para tratamento por embolização?
As principais são os aneurismas e os sangramentos oriundos de diversos órgãos, como pulmão, intestino e vias urinárias. Ressaltamos a importância da embolização nos traumas (acidentes), visto que alguns pacientes encontram-se em estado grave na chegada ao hospital, e assim, o tratamento com uma técnica pouco invasiva e com alta taxa de sucesso exerce papel de excelência no manejo destes casos.
 
De que forma a estrutura do Serviço Vascular do HBA contribui para o trabalho dos profissionais e o atendimento qualificado ao paciente?
Contamos no HBA com o que existe de mais moderno para o diagnóstico e tratamento dos nossos pacientes. No nosso Centro de Diagnóstico por Imagens encontramos equipamentos de Tomografia computadorizada, Ressonância Nuclear Magnética e ultrassonografia de última geração. Para o tratamento, contamos com um bem estruturado centro cirúrgico e com uma sala de hemodinâmica para os procedimentos endovasculares.

Postagens Recentes