Hospital da Bahia

Telefones Para Contato

HOSPITAL:
(71) 2109-1000

CENTRO MÉDICO:
(71) 2109-2000

Aumentam casos de Acidente Vascular Cerebral em jovens

Sedentarismo, obesidade, pressão arterial elevada, diabetes, colesterol alto e tabagismo são principais fatores de risco.

Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC), vem acometendo cada vez mais jovens e adolescente. “Dados brasileiros de epidemiologia ainda são escassos, mas podemos estimar que, em Salvador, ocorrem aproximadamente 7 mil AVCs por ano, dos quais 650 a 1000 em jovens”, relata o neurologista e coordenador da UTI neurológica do Instituto do Cérebro do Hospital da Bahia, Artur Souza.

Os fatores de risco vão desde o sedentarismo até a pressão arterial elevada, e inclui diabetes, tabagismo, colesterol alto e obesidade que são determinantes para a ocorrência destes dados epidemiológicos em relação ao AVC. “Cada vez mais, recebemos pacientes jovens com fatores de risco que costumávamos ver em pacientes mais idosos. A hipertensão arterial é o principal deles, afirma Artur.

Os sintomas, de acordo com o médico, são variados, sendo os mais frequentes a
“dificuldade da fala, déficit da força muscular ou sensibilidade unilateral na face ou nos membros superiores e inferiores. Eventualmente podem acontecer outras apresentações como estado convulsivo, rebaixamento do nível de consciência, perda da coordenação motora, movimentação involuntária unilateral, alteração visual, dor de cabeça intensa e persistente. A forma mais complexa é a crise convulsiva”, descreve.

Hábitos de vida saudáveis, como uma alimentação balanceada, prática de atividade física, controle adequado da pressão arterial, da glicemia e colesterol, são fundamentais na prevenção do AVC. Mas quando a doença aparece, o tratamento deve ser iniciado na primeira hora após os sintomas.

Pacientes com suspeita de AVC devem ser levados imediatamente à emergência do hospital, pois o tratamento ainda na fase aguda é fundamental para evitar sequelas que comprometem a qualidade de vida das pessoas.

“A partir da criação do Instituto do Cérebro, o Hospital da Bahia disponibiliza toda a tecnologia necessária para atender estes pacientes, com protocolos de atendimento já implementados e serviço de neurologia clínica, neuro-radiologia, neurologia intervencionista e cirurgia neurológica 24 horas, além de suporte de UTI neurológica com neurologistas intensivistas de plantão. Uma estrutura semelhante ao dos maiores hospitais do mundo”, finaliza André Muniz.